RJ: Militares do Exército são atacados a tiros na Vila Cruzeiro

Militares são atacados na Vila Cruzeiro pouco antes de Harry visitar Alemão
Coronel diz que tropa foi atacada por 40 tiros, além de receber garrafada.
Três pessoas foram detidas acusadas de participar da agressão a militares.


Cerca de quinze minutos antes da chegada do príncipe Harry ao Conjunto de Favelas do Alemão, militares da Força de Pacificação da Vila Cruzeiro, comunidade vizinha ao Alemão, foram atacados por mais de 40 tiros e hostilizados com pedaços de pau e garrafadas. Três pessoas foram detidas em flagrante acusadas de hostilizar os militares.
A Força de Pacificação informou que os ataques ocorreram em cinco pontos diferentes da favela, entre 13h30 e 13h45. O príncipe Harry chegou ao Alemão por volta das 14h. Segundo os moradores, a confusão teria começado após um acidente entre duas motos.
“Eu acho que a gente precisa apurar. O que a minha tropa me reportou foi que houve um acidente de moto aqui, uma revista normal de motociclistas, como já houve em outros episódios parecidos, e aí a tropa tentou ajudar os motociclistas e houve uma grande confusão depois disso”, explicou o comandante das Forças de Pacificação, Tomás Ribeiro Miguel Paiva.

Ação orquestrada
Para o coronel Fernando Fantasin, relações-públicas da Força de Pacificação da Vila Cruzeiro, a ação foi orquestrada por criminosos. “É muita coincidência, cinco patrulhas em diferentes pontos serem agredidas ao mesmo tempo”, argumentou Fantasin.
“Começou a haver uma série de ataques em diferentes áreas, coincidentemente no mesmo horário que está havendo o evento do príncipe no Complexo do Alemão. Nunca tivemos um episódio parecido como esse, ainda mais nesse horário, no histórico da Força de Pacificação", observou o comandante Tomás Paiva.
Segundo Fantasin, o patrulhamento na Vila Cruzeiro era feito por militares a pé em becos e vielas. Após serem atacados, os militares revidaram com tiros de borracha. A Força de Pacificação afirmou que não há informações de feridos. No entanto, moradores dizem que uma pessoa ficou ferida na confusão e foi encaminhada ao Hospital Getúlio Vargas, na Penha.
O coronel Fernando Fantasin disse que os detidos foram levados para a delegacia militar, situada na Vila Cruzeiro. Os detidos – dois homens e uma mulher – serão indiciados por lesão corporal, tentativa de agressão e desacato a autoridade.
Após a confusão, a segurança na Vila Cruzeiro foi reforçada por motos e caminhões do Exército. No final de fevereiro, foi anunciada a instalação de duas bases da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no fim deste mês no Conjunto de Favelas do Alemão.

Morador acusa militares de truculência
Um morador, que preferiu não se identificar, reclamou da truculência dos militares da Força de Pacificação. Ele conta que foi agredido na manhã deste sábado durante uma revista feita pelos militares. O Exército negou as acusações do homem.
“Me algemaram, me botaram na viatura, pisaram no meu rosto, me levaram para de trás do mato, me algemaram e começaram a me agredir. Quebraram o meu braço, mas consegui fugir”, desabafou o morador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário