Projeto no CMO beneficia menores abrigados em Campo Grande


Da Redação

Desde o dia 16 de julho, três vezes por semana, 20 garotos que vivem em abrigos têm uma rotina diferente. Eles tomam café da manhã no CMO (Comando Militar do Oeste), onde passam as manhãs em atividades esportivas, tomam banho e almoçam antes de ir para a escola.
Os garotos, na faixa etária de 7 a 14 anos, estão no programa Forças do Esporte, uma proposta desenvolvida pelas Forças Armadas em todo o país e tudo isso só está sendo possível para os meninos em razão da parceria estabelecida pelo Des. Joenildo de Sousa Chaves, Coordenador da Infância e Juventude de MS, para incluir na proposta desenvolvida pelo Exército, Marinha e Aeronáutica, crianças em situação de abrigamento, como medida protetiva.
As atividades são desenvolvidas por militares e profissionais especializados, com objetivo de prepará-los para a vida, ao ensinar noções de valores e cidadania. Nas organizações militares, os adolescentes praticam esportes, recebem orientações nas mais diversas áreas, além da alimentação. As atividades são desenvolvidas no horário em que os jovens não estão na escola.
A parceria entre o CMO e a Coordenadoria da Infância foi estabelecida em fevereiro e, desde então, as providências foram adotadas para transformar parte do quartel em um local apropriado para receber as crianças, que usufruem de alojamento separado, com armários novos individuais. 
O foco da proposta é o esporte, porém os militares estão disponibilizando também atendimento médico e odontológico. Por enquanto, o projeto atende apenas meninos em razão da estrutura física do CMO, entretanto, em um futuro não muito longe, a intenção é ampliar o projeto e atender também meninas.
De acordo com o major Alexandre Ribeiro e o sargento Hugo Peixoto, os dois militares que trabalham diretamente com os garotos, a proposta do Forças no Esporte é atender crianças com problemas sociais e é a primeira vez que ambos trabalham com meninos em situação de abrigamento. Além do sargento e do major, quatro soldados ficam à disposição para as atividades desenvolvidas com os meninos.
“Faz pouco tempo que estão conosco e nossa avaliação é um pouco sumária, mas já temos uma noção da personalidade de cada um. Alguns são mais extrovertidos, outros mais retraídos, contudo, percebemos que para eles falta uma referência familiar. Queremos ajudar a prepará-los para a vida quando falamos sobre coletividade e disciplina”, explicou o major, que é pai de um menino de 10 anos e está acostumado a lidar com crianças.
O sargento Peixoto lembrou também que as atividades esportivas desenvolvidas com os meninos não é voltada para o rendimento, mas para ações de integração. “Nossa intenção é ajudá-los na construção de valores, mostrar que existem limites, oferecer uma perspectiva, uma oportunidade que contribua com a formação de personalidade e do caráter desses jovens”, afirmou.
“O problema das crianças e adolescentes em situação de abrigamento envolve toda a sociedade e temos uma preocupação muito grande com estes jovens. Esta parceria com o CMO é uma das melhores já estabelecidas porque dá aos meninos uma oportunidade”, disse Joenildo, colocando à disposição a equipe multiprofissional da coordenadoria.
Fonte: Conjuntura On Line

Nenhum comentário:

Postar um comentário