Brasil pede ajuda às Nações Unidas

Com o agravamento dos confrontos, a embaixadora do Brasil na Costa do Marfim, Maria Auxiliadora Figueiredo, pediu a ajuda da Organização das Nações Unidas (ONU) no resgate de dois brasileiros que vivem na cidade de Abidjan. Maria Auxiliadora foi procurada ontem por eles, que manifestaram preocupação com a própria segurança diante dos violentos confrontos armados na capital do país africano. Em mais um dia de forte tensão, aliados do presidente eleito, Alassane Ouattara, voltaram a cercar a residência do líder em exercício, Laurente Gbagbo, entrincheirado em um bunker. Pouco antes, forças francesas atingiram veículos militares de Gbagbo durante uma missão de resgate do embaixador do Japão, Yoshifumi Okamura, cuja residência foi invadida por militares leais ao presidente em exercício.
O governo brasileiro confirmou a apresentação do pedido de resgate às Nações Unidas. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, há cerca de 150 brasileiros na Costa do Marfim atualmente. Funcionários da embaixada foram orientados a evitar ao máximo andar pelas ruas de Abidjan.
A crise na Costa do Marfim teve início logo após as eleições presidenciais, realizadas em 28 de novembro do ano passado. Alassane Ouattara foi reconhecido como vitorioso nas urnas pela comunidade internacional, mas o atual presidente se recusou a entregar o poder. Os combates, que já deixaram mais de 800 mortos em quatro meses, intensificaram-se com a entrada das forças da ONU e da França no país, há uma semana.
Ontem, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, fez um apelo para que Gbagbo deixe o poder “antes que seja tarde demais”. O líder marfinense, entretanto, nega-se a deixar o esconderijo que construiu na mansão presidencial.
Quattara, por sua vez, anunciou em discurso transmitido em rede nacional, que os esforços para resolver a crise diplomaticamente falharam. Confirmando o cerco ao opositor, ele deu sinais de que iniciará seu período de governo e pediu a união da população para “construir um grande país”. “Os autores dos crimes serão punidos", assegurou, exortando suas tropas “a um comportamento exemplar, abstendo-se de todo o crime, de violências contra a população e de atos de pilhagem”.


Correio Brasiliense

Resgate

Forças francesas atingiram veículos militares pertencentes a tropas do líder em exercício durante uma missão com helicópteros que resgatou o embaixador do Japão. Yoshifumi Okamura e seus funcionários se refugiaram dentro de um cômodo de segurança na residência oficial, invadida por forças leais a Gbagbo. A operação de resgate foi documentada pelo Exército francês. O vídeo de uma hora mostra os soldados com óculos de visão noturna descendo de um helicóptero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário